sábado, 31 de julho de 2010

Dama amada

 Com palavras doentes eu me encontro... Com palavras doentes me relacionei... Me perdoe por tal traição, minha amada. Não me faço digno de sua confiança, minha senhora. Sei que ao me entregar àquelas damas vulgares me fiz fraco. Oh, dona de minhas lembranças do passado e de meus devaneios do futuro, me perdoa e me aceite... Sei que está disposta a voltar pra mim... Ceda, por favor. Volte pr'aquele que tanto te almeja... Teu doce toque, tua sutileza, teu jeito de me fazer completo e somente teu... Por alguns segundos, pois logo se vestia e saia para o dia... Ah, minha dama, não me abandone mais... Apesar de eu ter me envolvido com todas aquelas caprichosas maquiladas e excessivamente perfumadas... Me ponho aos teus pés novamente. Me aceite. Por favor, minha doce Criatividade...

3 comentários:

Mandy © disse...

Que foda esse texto *.*

jefhcardoso disse...

Que a criatividade se renove e se fortaleça em sua vida!

Quero aproveitar e lhe convidar para ler “O Candidato” no meu http://jefhcardoso.blogspot.com
Será um prazer lhe receber.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Marcio de Castro disse...

Você é de onde?

me manda um sms.. 071 92204249
Márcio - Salvador -Ba